As Quintas

Quinta das Quartas

Quinta Sta Barbara

Quinta de Vale de Cavalos

O "terroir" do Douro produz uvas com grande concentração de taninos e açucar, ideais para a produção de vinhos de mesa de grande qualidade
Quinta das Quartas

Quinta das Quartas


Aqui situa-se o centro de vinificação Poças. Mais do que os 2,5 hectares de vinha, esta quinta destaca-se pela grande cave de envelhecimento de Vinhos do Porto. Aí repousam até 25.000 hectolitros em cascos de madeira, desde meias-pipas de 267 litros até balseiros de 88.000 litros. Na moderna adega vinificam-se desde 1996 as produções de todas as quintas da Poças, num total de 1,1 milhões de litros de vinho. Inclui um pequeno núcleo museológico onde podem ver-se os lagares primitivos, em granito, de 1873.

Manoel Poças Júnior tinha uma grande dedicação por esta sua primeira quinta no Douro. Visitava-a quase todas as semanas, percorrendo os últimos 700 metros a pé, por carreiros pedregosos. Sonhava um dia poder conduzir o seu automóvel até a quinta, o que nunca chegou a fazer, pois a estrada atual só foi aberta mais tarde.
Quinta Sta Barbara

Quinta Sta Barbara


Nesta quinta, com cerca de 33 hectares de vinha e um lindo laranjal murado, produzem-se alguns dos melhores vinhos Vintages e LBV Poças, sob a marca Quinta de Santa Bárbara. A quinta foi baptizada com o nome de uma primitiva quinta, situada frente à cidade de Peso da Régua, com uma capela desta santa e um panorama deslumbrante.

A construção de uma estrada que dividiu a quinta primitiva levou à compra da atual, em 1999. Ao ser adquirida, só cerca de um quarto da área total tinha vinha com idade considerável. Posteriormente, procedeu-se ao plantio de toda a propriedade utilizando as mais modernas técnicas e a selecção das melhores castas.
Quinta de Vale de Cavalos

Quinta de Vale de Cavalos


Em Numão, uma região de excelência, toda a plantação privilegia as melhores castas. A quinta foi adquirida em 1988 e tem uma área de cerca de 51 hectares vinha, dividida nas parcelas Ribeira Teja, Catapereiro, Tanque e Zoc.

O terreno ondulado dispensa muros de suporte, o que facilita o trabalho agrícola. A proximidade da Ribeira Teja a uma albufeira, formada pela subida das águas de uma barragem recente, e o sofisticado sistema de rega “gota-a-gota”, permitem fazer face às frequentes secas desta região considerada a com menor pluviosidade de Portugal.