Glamour Vintage

2016-03-23

É a estrela dos vinhos do Porto da família Ruby. Ou melhor, a estrela das estrelas de todos os vinhos do Porto, embora outros, da família dos Tawny, igualmente muito bons, estejam atualmente a conquistar um lugar na passarela dos brilhantes.

Tons de vermelho escuro, vigor e intensidade de aromas a fruta, o Vintage é o vinho com mais glamour entre os diversos estilos de vinhos do Porto. Uma qualidade que lhe advém do envelhecimento em ambiente muito contido e pouco oxigenado - o Vintage é engarrafado entre o 2º e 3º ano depois da vindima. Tem a identidade do ano da colheita e a exceção de ser um vinho que se produz apenas nos melhores anos vínicos. E tem história de séculos. O primeiro Vinho do Porto Vintage terá surgido em 1775. Por essa altura, já se fazia a fortificação do Vinho do Douro, mas só em meados do século XIX aquela prática estará generalizada entre os produtores. Nessa época verifica-se também uma evolução na técnica do fabrico de garrafas que vem permitir a afirmação do estilo - o aparecimento de garrafas mais cilíndricas podiam ser guardadas deitadas, poupando espaço e facilitando o transporte. É a vida da garrafa a cruzar-se com a do Vinho do Porto e a permitir levar o Douro em unidades de 75 cl para Inglaterra, país desde sempre ligado a este vinho centenário e, em particular, ao estilo Vintage.


Um português entre os ingleses

Como dizia o fundador da Poças Júnior, bisavô de alguns dos que estão agora no comando da empresa, o Vintage era negócio dos ingleses. Verdade seja dita, Manoel Poças Júnior foi apreciador e dono de uma coleção invejável de Vinhos do Porto Vintage, alguns muito antigos. Mas foi preciso a insistência dos netos que entretanto se juntaram à gestão da empresa para o convencer a iniciar a produção de Vintage, no ano de 1960.

“Fomos sempre muito conhecidos pelos Tawny velhos e possuímos uma qualidade a nível de Colheitas muito consistente”, diz, e bem, Jorge Manuel Pintão, o enólogo principal da Poças e um dos bisnetos do fundador, mas os LBV e os Vintage da casa também sabem ganhar distinções - a revista Wine Spectator pontuou o Porto Poças Vintage 2009 com 95 pontos, em 2012, ficando classificado em 20º lugar no Top 100 da publicação.


Quando abrir a garrafa?

Se o vinho do Porto Vintage envelhece em garrafa e, como costuma dizer-se, quanto mais velho melhor, quando podemos, afinal abrir a garrafa? É verdade que os bons vinhos envelhecidos ganham complexidade e subtileza invejáveis, mas a pujança de um Vintage jovem tem também muitos apreciadores. Em síntese, recomendam os especialistas, devemos ter em conta na tomada de decisão que os Vintage mantém a efusão da fruta da juventude nos primeiros cinco anos em garrafa. Depois passam por um período menos expressivo, fechado, e, após 15 a 20 anos, chegam à idade adulta, revelando o que de melhor oferece a maturidade.