1918
A 15 de Agosto Manoel Domingues Poças Júnior funda com o seu tio a Poças & Comandita, dedicada ao comércio de Aguardente Vínica para produção de Vinho do Porto.
1932
Manoel Poças recebe a Quinta das Quartas, a primeira das suas quintas no Douro, como pagamento de dívidas da firma.
1942
O Estado Novo decreta o monopólio estatal de comércio de aguardentes. Manoel Poças vende as destilarias e centra-se na exportação de Vinho do Porto.
1959
Ultrapassadas as vicissitudes da II Grande Guerra, os netos Manuel e Jorge Pintão juntaram-se à firma. Seguiram-se anos de crescimento nos mercados mundiais.
1962
É lançado o primeiro Poças Vintage, fruto da persistência de Manuel e Jorge Pintão. Um marco na aposta pela qualidade, contrariando a opinião de que o “Vintage era para as firmas inglesas”.
1975
Morre Manoel Poças. Os netos e seu primo Acácio Maia investem na modernização criando a linha de engarrafamento automatizada e um avançado laboratório de controlo da qualidade.
1987
Jorge Manuel Pintão, formado em química e em enologia pelo “Institut d’Oenologie de Bordeaux” inicia a liderança do Departamento de Enologia.
1990
Poças é um dos primeiros produtores a investir na produção de Vinho DOC Douro. Coroa d’Ouro, o seu primeiro vinho torna-se um êxito.
2006
Quatro gerações cruzam-se na empresa. Dois netos do fundador, Jorge Poças Pintão e Acácio Poças Maia, na Administração. Jorge Manuel Pintão (Enologia), Maria Manuel Maia (Viticultura), Pedro Poças Pintão (Vendas e Marketing) e Paulo Pintão (Financeira e Administrativa).